Mau uso dos headsets afeta a saúde dos operadores de call center

 

Com o aumento da demanda nas centrais de telemarketing e call centers, além da exigência por maior conforto e ergonomia nos postos de trabalho, os headsets se tornaram essenciais, visto que possibilitam a realização de diversas atividades simultaneamente e facilitam a rotina dos operadores. Usados durante todo o expediente, os headsets precisam oferecer segurança e conforto, a fim de evitar problemas de saúde e baixo rendimento dos atendentes. O headset pode aumentar em até 53% a produtividade da equipe de atendimento, porém o uso inadequado pode prejudicar a saúde auditiva. Longas jornadas de trabalho, não trocar o fone de lado e volume inadequado são os principais erros durante a utilização destes equipamentos, saiba como evitá-los.

Volume seguro

Manter o volume do headset em níveis normais é a principal indicação dos especialistas, o apropriado é que o atendente seja capaz de ouvir bem as pessoas que estão ao seu redor e o cliente do outro lado da linha. O limite seguro de som contínuo para o ouvido é de 80 decibéis, considerando uma jornada de trabalho de oito horas consecutivas. Para cada cinco decibéis além desse nível, o limite de horas é reduzido pela metade.

O ouvido humano é composto por várias partes muito frágeis, que podem sofrer diversas alterações, por uma série de fatores. Com o uso frequente de fones de ouvido com volume alto demais é comum o aparecimento de zumbidos e sons internos. Esse problema geralmente ocorre pela má qualidade do equipamento, que obriga o operador a aumentar o volume para compreender corretamente o cliente. O ideal é que o headset tenha uma grande sensibilidade e que a potência esteja de acordo com a atividade que será realizada com ele, além disso a função de cancelamento de ruído também é desejável, já que reduz a interferência externa e preserva o volume em decibéis seguros.

Alterne o lado do headset

Outra indicação dos especialistas para evitar problemas auditivos é alternar o lado dos fones de ouvido. A cada hora o operador deve trocar o equipamento de ouvido, permitindo que haja um descanso do aparelho auditivo entre as trocas, além da circulação de ar e ventilação necessária ao ouvido. As desculpas de que escuta melhor em um dos lados, não podem ser aceitas, com o tempo o atendente se acostuma e ambos lados se tornam semelhantes.

 

Esses são hábitos simples, mas que fazem toda a diferença no dia a dia do call center. Dessa forma, mais do que um equipamento, o headset se torna um verdadeiro aliado de trabalho e não um vilão. Lembre-se que a qualidade do equipamento também influencia diretamente na eficiência do trabalho, adquira apenas headsets de qualidade. Entre em contato com a Top Use e aproveite todas os benefícios dos nossos dispositivos de áudio.